Pequenos negócios da Paraíba geram 9.531 novos empregos neste ano

Os pequenos negócios da Paraíba registraram a criação de 9.531 novas vagas de trabalho com carteira assinada de janeiro a outubro de 2019, em contrapartida às médias e grandes empresas (MGE) do estado, que fecharam 2.792 vagas no mesmo período. Além disso, outubro, mais uma vez, foi um mês em que as micro e pequenas empresas (MPE) superaram as MGE em geração de emprego na Paraíba. Os dados são de levantamento realizado pelo Sebrae com dados extraídos do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

De acordo com os dados, entre janeiro e outubro deste ano, os setores que mais abriram vagas celetistas nos pequenos negócios foram serviços (6.361), agropecuária (1.216), comércio (1.016) e indústria da transformação (661). Considerando apenas o mês de outubro, período em que o estado criou 1.026 novas vagas, o levantamento aponta que os serviços (478) e o comércio (358) foram os responsáveis por liderar a geração de empregos entre as micro e pequenas empresas do estado.

“Com a aproximação das festas de fim de ano, o comércio e os serviços são naturalmente aquecidos, gerando demanda de emprego não só na Paraíba, mas em todo o país. Dessa forma, os pequenos negócios são bastante beneficiados, confirmando, mais uma vez, a importância deste segmento para a economia local e nacional”, afirmou o superintendente do Sebrae Paraíba, Walter Aguiar.

– No país, as micro e pequenas empresas criaram 73.398 postos de trabalho no mês passado, o melhor resultado dos últimos cinco anos. Enquanto isso, as médias e grandes corporações (MGE) registraram saldo negativo de 2.119 empregos, ou seja, mais demitiram do que contrataram. O mesmo aconteceu na administração pública, que dispensou 427 trabalhadores. Em dez meses, as MPE abriram 752,4 mil vagas celetistas em todo o país.

Em outubro, as MPE do setor de comércio lideraram a geração de emprego, sendo responsáveis pela criação de 32,5 mil novas vagas, sendo seguidas pelas micro e pequenas empresas da área de serviços, que criaram 22,8 mil postos de trabalho. Os pequenos negócios da construção civil e da indústria de transformação também se destacaram contratando, respectivamente, 10,9 mil e 10,5 mil empregados.

De janeiro a outubro deste ano, os pequenos negócios já respondem pela criação de 752,4 mil novos empregos, dez vezes mais que o saldo de empregos registrado pelas médias e grandes empresas e 10,5% acima do saldo registrado pelas próprias micro e pequenas empresas no mesmo período do ano passado. Já o total assinalado pelas MGE (72,4 mil empregos) encontra-se 45% abaixo do mesmo período de 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, informe seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui