Maior São João do Mundo bate recorde de recolhimento de materiais recicláveis

Além de diversão para milhares de campinenses e turistas de várias partes do Brasil e do exterior, O Maior São João do Mundo também representa oportunidade de trabalho e garantia de renda extra para um grupo de trabalhadores que recolhem materiais recicláveis. Enquanto os forrozeiros aproveitaram o arrasta-pé, no Parque do Povo, durante os 31 dias do evento, 40 catadores, integrantes do projeto Recicla São João, trabalharam recolhendo latinhas, garrafas pet e outros materiais recicláveis, garantindo, dessa forma, uma renda extra no orçamento doméstico.

Com uma média de 1,1 tonelada de material recolhida por dia, Projeto Recicla São João 2019 já bateu o recorde do ano passado, quando foram recolhidas 23 toneladas de materiais recicláveis. Este ano, nos primeiros 21 dias de festa, os catadores já haviam recolhido 25 toneladas de materiais e a estimativa é atingir 35 toneladas, ao término dos 31 dias do evento.

O Recicla São João serve como parâmetro para mostrar a grandiosidade dessa festa. “No ano passado, nós recolhemos 23 toneladas de produtos recicláveis. Neste ano, com vinte e um dias de festa, nós já chegamos a quase 25 toneladas. Até o final da festa, a nossa expectativa é que gere algo em torno de 35 toneladas. Queremos bater todos os recordes”, destacou o secretário Geraldo Nobre, titular da Sesuma.

Criado em 2016, numa iniciativa da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma), o Recicla São João beneficia 40 trabalhadores, que são contratados, temporariamente, para o serviço. Cada catador recebe um salário mínimo, pelos 31 dias de trabalho e, ao final dividem o lucro obtido com a venda do matéria recolhido. Além disso, também recebem o auxílio de transporte, alimentação (jantar) e os Equipamentos de Proteção Individual – EPI’s (botas, luvas, capas de chuva).

O trabalho é realizado diariamente, no Parque do Povo, onde se concentra o maior volume de materiais. São recolhidos latinhas, caixas de papelão e garrafas pet. “Se a gente não estivesse aqui, fazendo esse trabalho no Recicla São João, a festa não seria tão bonita e o meio ambiente estaria poluído. E, para nós, é um a renda extra que chega para ajudar. Só temos a agradecer, primeiramente a Deus e depois a todos que tiveram a ideia de criar esse projeto”, disse a trabalhadora Maria do Socorro Barbosa, que participa do projeto desde que ele foi criado.

Participam do projeto a Cooperativa de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (CATAMAIS), a Associação de Recicláveis Nossa Senhora Aparecida (ARENSA), a Cooperativa dos Trabalhadores de Materiais Recicláveis (COTRAMARE) e a Cooperativa de Trabalho dos/as Catadores e Catadoras de Campina Grande (Cata Campina). Para participar do projeto, cada trabalhador assina um termo de responsabilidade, no qual constam as obrigações referentes ao trabalho de coleta do material. A contratação atende ao que preconiza a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010) e o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (Lei Complementar 087/2014).

O ponto de apoio do projeto ficou próximo à Pirâmide do Parque do Povo, onde, durante os 31 dias d’O Maior São João do Mundo, a população e os frequentadores do Quartel General do Forró, puderam fazer entrega voluntária dos materiais descritos acima. “Todo mundo, que esteve visitando o Parque do Povo, pôde colaborar com o projeto, deixando os materiais no posto de coleta, ou ainda colocando seus resíduos nas diversas lixeirinhas que estão espalhadas pelo Parque do Povo. Inclusive temos dez kits, na cor verde, que são específicos para receber os resíduos recicláveis, entre eles incluem plástico, papéis, papelões, metais e vidros”, explicou Rafaela Oliveira, coordenadora do programa Recicla São João.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, informe seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui