Livânia Farias detalha propinas e ocultação de provas em delação premiada

Em delação, a ex-secretária de Administração do Estado, Livânia Farias, apresentou em depoimento ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, uma versão para explicar a existência de contratos suspeitos da prefeitura de João Pessoa com o escritório Bernardo Vidal Advogados. A atuação da empresa, com promessa de resgate de créditos tributários, teria gerado prejuízo de R$ 49 milhões ao erário público. Pior, ela deu detalhes, também, sobre suposto esquema de pagamento de propinas a autoridades.

No depoimento, que faz parte da colaboração, Livânia também deu detalhes sobre a suposta subtração de provas referentes à apreensão de R$ 81 mil em um carro cujo motorista trabalhava para a Bernado Vidal Advogados. O dinheiro seria destinado ao pagamento de propinas a autoridades paraibanas. Ela disse que recebeu ajuda da ex-secretária de Finanças do Estado, Aracilba Rocha, para ir à Secretaria de Segurança e Defesa Social e, lá, cobrar a retirada de um celular e de documentos originais do conjunto probatório.

O equipamento e os papéis teriam sido entregues ao secretário de Comunicação do Estado, Nonato Bandeira. O encontro teria ocorrido na Rádio Tabajara, em 2011. Depois deste episódio, segundo Livânia, não se ouviu mais falar dos documentos e do telefone.

 Nonato Bandeira

Em nota, o Secretário de Comunicação do Estado da Paraíba Nonato Bandeira negou ter ocultado qualquer tipo de prova. Confira a íntegra da nota:

Diante do que vem sendo noticiado desde a tarde de ontem, acerca da suposta prática de ocultação de documentos para beneficiar terceiros, esclareço o seguinte:
1. Não há contra a minha pessoa acusação de desvio de recursos públicos ou de corrupção.
2. Nunca, em tempo algum, estive reunido com qualquer pessoa nas dependências da rádio Tabajara, ou em outro lugar, para ocultar prova ou impedir a investigação de crimes de que sequer sou acusado;
3. Estranho que só agora meu nome apareça neste rumoroso caso, exaustivamente denunciado à época pela imprensa e apurado pelas autoridades competentes;
4. Por fim, coloco-me à inteira disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos necessários, a fim de que a verdade seja restabelecida. 
João Pessoa, 5 de setembro de 2019.
Nonato Bandeira
Secretário de Comunicação do Estado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, informe seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui